Será a formação uma porta aberta para o emprego?

 

 

Durante anos assistimos a uma grande retração do mercado de trabalho em Portugal. Apesar de o desemprego ter vindo a registar uma descida contínua, ainda se situa nos 10,2% e um em cada quatro jovens está no desemprego, mesmo sendo cada vez mais qualificados.

O problema não estará nos cursos superiores, mas poderá estar na falta de ajustamento das suas qualificações e, em Portugal, têm surgido várias iniciativas como forma de combater o desemprego no país.

O desemprego em Portugal há muito que é uma realidade preocupante, principalmente para os jovens que terminam o seu curso superior, onde em muitos casos, ou se sujeitam a condições desajustadas à sua formação ou ficam mesmo no desemprego. Ainda assim, o desemprego, apesar de estar nos 10,2%, está numa fase de retrocesso, o que é um bom sinal para o país.

Mas a situação mais grave está na faixa etária mais nova: um em cada quatro jovens está no desemprego. Ao mesmo tempo, esta é também a geração mais qualificada de sempre.

Então porquê estes números tão alarmantes e porque vivem numa situação de precariedade? Não há licenciados a mais, como muitos querem fazer crer. Há é uma falta de ajustamento das qualificações destes jovens e adaptação à realidade portuguesa.

Se olharmos para um sector como as Tecnologias de Informação, existe de facto emprego – não há é candidatos. Cada vez é mais difícil recrutar perfis qualificados nesta área que, apesar de estar numa onda de progresso, o número de profissionais com formação não tem seguido a mesma tendência. 

 

Há uma necessidade urgente de reformular o nosso mercado de trabalho

Há uma necessidade urgente de reformular o nosso mercado de trabalho, que continua a ter dificuldade em capacitar os seus talentos com skills e competências que vão de encontro às necessidades de emprego em Portugal.

É nesse sentido que têm surgido iniciativas valiosas com o intuito de adaptar e preparar os nossos jovens e adultos para o mercado de trabalho.

O Estado lançou este mês o Qualifica – um programa destinado à formação e qualificação de adultos – que deverá abranger 600 mil pessoas até 2020. O programa que dá agora sucessão ao Novas Oportunidades surge com o intuito de dotar as pessoas de competências que lhes permitam abrir mais portas no mundo do trabalho.

Na mesma linha de ideias, há também empresas privadas cientes deste problema e que estão a desenvolver condições especiais para ajudar os jovens na sua formação e na sua adaptação ao mercado de trabalho.

A Olisipo, por exemplo, está a oferecer descontos a partir de 25% nos seus cursos e academias, tal como planos de pagamento personalizados. O objetivo é criar uma ponte entre as altas taxas de desemprego e a falta de recursos na área das tecnologias da informação, oferecendo melhores oportunidades de emprego através de um plano de formação adaptado aos interesses e necessidades de cada um.

( Fonte )

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Atualidade, Opinião. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s